quinta-feira, 30 de maio de 2013

Menino estudante

Menino estudante
                                              
Ó belo menino,
Menino travesso,
Que sorri que chora,
Que olha atento,
Ou finge olhar,
Que corre contente
A saltitar.

Menino maroto,
Que aprende aos poucos,
Faz cara de louco
Para enganar,
Engana somente
A quem quer enganar,
Estuda somente,
O que quer estudar.

__-Barbara Melo




Meu voto

Meu voto

Quando voto meu amigo,
estou em ti a confiar,
pensando que é "honesto",
para a mim representar.

Não dou chave de banco,
para que possas enricar.
Não te dou o direito,
de querer me "enganar".

Quando voto meu amigo,
quero o bem do "cidadão",
não espero vê-lo mentindo,
passeando de carrão.

Não te dou o "direito",
de achar que sou pateta.
Pois já sei que fica por aí,
escondendo dólar na cueca.

Quando voto meu amigo,
estou "ciente" do que faço,
Mas tem gente que não sabe,
vende-se por uns trocados.

Não se engane aí "doutor",
quatro anos passa rápido.
E o povo com seu voto,
tua vida pode mudar.

__- Bárbara Melo

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Pôr do sol

Pôr do sol

O pôr do sol é nostalgia,
sempre recorda uma saudade,
um momento de alegria.

Ele lembra despedida,
o faz doer uma ferida,
recordações de uma vida.

O sol lembra paixão,
trás consigo a emoção,
mas pode ser solidão.

Ele que nunca encontrou,
jamais conseguiu aquecer,
no frio o seu grande amor.

De manhã é esperança,
meio dia confiança,
fim de tarde é lembrança.

_- Bárbara Melo



terça-feira, 28 de maio de 2013

Poetizar

Poetizar...
É simplesmente
SENTIR, REFLETIR,
e EXPRESSAR-SE
sobre si e sobre 
o mundo...
Não é inventar, é expressar
o que dentro d'alma esta.

__- Bárbara Melo


E se for...

Se é pra sempre não sei,
se for eterno, que bom!
Se meu futuro também é seu?
Sei lá! E se for?
Se for terei em mim a felicidade,
viverei eternamente o amor.
Se estiveres no meu futuro,
seremos cúmplices do amor.
Se continuarmos juntos,
não saberei mais o que é dor.

___- Bárbara Melo


Pensamento

"E foi assim, que meus olhos revelaram...
o que meus lábios jamais poderiam dizer."

_- Bárbara Melo



Moça

Moça

Estás presa em si mesma,
em memórias e dilemas.
Então porque não busca
agora, uma nova esperança?

Estás sem vida, moça agora,
onde esta o seu sorriso?
A felicidade que te cerca,
pode ser um paraíso.

Estás presa no passado,
um passado bem distante.
Fuja deste moça, agora!
Reencontre seu sorriso.

O passado que te cerca,
este não existe mais.
Fuja deste moça, agora!
e encontre outro rapaz.

__- Bárbara Melo

Imagem: Casey Weldon







Hipocrisia em festa

Hipocrisia em festa

Há uma nuvem escura,
ninguém sabe de onde vem.
Sabe que ardem os olhos,
mas o culpado não tem.
Maldita nuvem de hipocrisia,
que não acusa à ninguém.

Todos reclamam com dor,
todos mostram-se revoltados,
mas pra falar a verdade,
ainda não há um culpado.

A nuvem espessa e forte,
engana os pobres coitados.
Embriaga o pobre cidadão,
um bicho, já desgraçado.
Que vive à comer migalhas,
enquanto enrica o canalha.

O povo sabe o que dói,
a fome, que o sufoca,
mas culpado perverso,
ainda não encontrou.

A hipocrisia faz festa,
e o povo nela dança.
Com satisfação e alegria,
engana-se como criança.
E o perverso em aplausos,
no comando desta dança.

___- Bárbara Melo


Deixo de mim...

"E nestes sonhos meus,
não há lugar para dor.
Deixo o melhor de mim,
mesmo que seja o fim."

__-Bárbara Melo

__-Art Khoa Le



Uma semente

Uma semente

Sou eu a semente,
pedaço de gente,
que sonha que sofre,
sou carne sou mente.

Sou eu a semente,
querendo o ausente,
germino somente,
em estado de amor.

Sou eu a semente,
buscando em mente,
esquecer-te enfim,
arrancando o de mim.

Sou eu a semente,
um bicho com fome,
na rua sem nome,
em estado de dor.

Sou eu a semente,
em sonhos nocivos,
me perco em medos,
nos sonhos perdidos.

Sou eu a semente,
em sonhos de amor,
sonho em segredos,
e suspiro de dor.

Sou eu a semente,
no canteiro jogada,
sozinha encontrada,
mas que germinou.

Sou eu a semente,
do fruto usada,
um resto de gente,
que sem rumo ficou.

Sou eu a semente,
que nasceu de repente,
de forma contente,
buscando o amor.

Sou eu a semente,
sofrida magoada,
que despedaçada,
no amor superou.

__-Bárbara Melo
Imagem: Zhang Xiaobai





segunda-feira, 27 de maio de 2013

Frustrações

Frustrações 

A vida cinzenta, tudo afugenta 
Lágrimas choradas, jamais imaginadas
Corações separados, batem acelerados
Emoções frustradas, desesperadas
Querendo ser forte, com medo da morte
Amar sem se ver, amar sem querer
Nuvens azuis, sem um pouco de luz
Carinho sentido, nunca existido
Paixão ao luar, e ninguém para amar
Sol que clareia, nada incendeia
Vida feliz, na verdade infeliz
Amor nobre, na verdade nem forte
Felizes para sempre, o contrário se sente.

__- Bárbara Melo

Menino de rua

Menino de rua

Estava ali tão só,
rodeado por gente,
tu eras um bicho,
um resto de gente.

Aprisionado em dores,
eras alvo inocente,
tu eras uma vítima,
da sociedade demente.

Eras um anjo coitado,
ninguém compreendia,
tu eras ser nocivo,
e mal nenhum fazia.

Jogado ao leu muito cedo,
com frio e fome sofria,
tu eras a escória infeliz,
que ninguém reconhecia.

Tua imagem, tristeza,
revelava muita dor,
tu eras mais uma vida,
que sem vida ficou.

___- Bárbara Melo

Adicionar legenda

Semear


Semear

Semear o bem é fácil,
isso em qualquer lugar.
Acontece em sua casa,
na família, no seu lar.

Trabalhando com valores,
o mundo pode mudar.
Uma família mais feliz,
vai o munda transformar.

Semear o bem é fácil,
basta você acreditar.
Os valores familiares,
pode a sociedade mudar.

Ensinar boas virtudes,
é papel do cidadão.
Que é chefe de família,
não é só da escola não.

O valores fundamentais,
são os pais que os ensinam.
Ensinando virtudes e valores,
que a sociedade determina.


__- Bárbara Melo

Sou poeta?

Se sou poeta?
Sei lá!
Eu sei rimar,
poetizar,
com as palavras
brincar.

De uma lágrima
faço rima,
de um sorriso,
faço rima,
das tristezas,
faço rima,
dos dilemas,
faço rima.

E como diria Lispectro,
com o cal do meu dia,
faço minha poesia.
(...)

Então, sou poetisa?


__-Bárbara Melo